Boliche será uma das modalidades homenageadas no Prêmio Brasil Olímpico

A edição do Prêmio Brasil Olímpico deste ano vai homenagear os medalhistas do Pan em Lima 2019. Marcelo Suartz, que ganhou a prata pelo boliche, será um dos destaques. O atleta acumula três medalhas nos Jogos - ele conquistou  o único ouro do boliche no Pan  em Toronto (2015) e também tem um bronze, de Guadalajara (2011).

No total, o Time Brasil conquistou 169 medalhas, sendo 54 delas de ouro, um recorde na história do país nos Jogos. Com estes números, o Brasil terminou em segundo lugar no quadro de medalhas, após 56 anos, atrás apenas dos Estados Unidos, com 293 pódios.

A cerimônia será realizada nesta terça, dia 10 de dezembro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

De acordo com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), 41 modalidades conquistaram medalhas, 22 delas ganharam ao menos um ouro e 18 melhoraram seus resultados em relação aos Jogos no Canadá, enquanto 12 delas fizeram as melhores campanhas em todas as edições do Pan. Os resultados apresentaram ainda um número importante de atletas jovens com medalhas (97 com 23 anos ou menos) e de mulheres campeãs (20).

Marcelo garante que a emoção é única: "É uma honra poder representar o esporte boliche. Sinto gratidão profunda por todos os que me apoiaram, mesmo nos maiores momentos de dificuldade. Quem me conhece, sabe que de 2018 para 2019 passei por muitos problemas de vários níveis - essa medalha no Pan, mais do que uma medalha de prata, mostra que se você não desistir, se sacrificar, manter a disciplina, principalmente nos dias em que você não está se sentindo bem, a recompensa vem.  Isso é superação pura, não tem preço".

Além de Suartz, estes são os outros atletas de modalidades não-olímpicas que fazem parte apenas do programa dos Jogos Pan-americanos que serão homenageados: Mariana Nep (esqui aquático), Juscelino Nascimento (fisiculturismo), Bruna Wurtz (patinação artística), Gabriel Felix e Silva (patinação velocidade), Felipe Otheguy (pelota basca), e Rafael Alarcon (squash).

Oscar Schmidt receberá o Troféu Adhemar Ferreira da Silva por valores como dedicação, eficiência e espírito coletivo que representou durante toda a carreira. E serão premiados, ainda, o Melhor Técnico Individual e Coletivo; e Melhores Atletas nos Jogos Escolares da Juventude.

O Prêmio Brasil Olímpico deste ano também homenageará mais seis ídolos do esporte nacional com a inclusão de seus nomes no Hall da Fama do COB: Joaquim Cruz, Magic Paula, Guilherme Paraense, João do Pulo, Maria Lenk e Sylvio Magalhães Padilha.

(Com informações da agenciaolimpica.com.br)